100%

“Prefeituras investem hoje 22,5% de sua arrecadação em saúde”, afirma Ziulkoski

“As Prefeituras investem hoje 22,5% de sua arrecadação em saúde, muito acima, portanto, da obrigação legal”. A afirmação é do presidente da Confederação Nacional de Munícipios (CNM), Paulo Ziulkoski, e foi divulgada pelo Valor Econômico nesta sexta-feira, 19 de dezembro. O jornal divulgou estudo da entidade sobre o impacto da Emenda Constitucional (EC) 95/2016 que institui um teto para os gastos públicos federais vinculado à inflação.

Com o título Teto reduzirá investimento federal em saúde, diz estudo, a matéria afirma que a maior financiadora da saúde pública no país, a União caminha para perder esta posição em um prazo de 20 anos, caso seja mantido o teto de gastos federais que entrou em vigor este ano. Com base nos dados da CNM, a publicação assinala que as Prefeituras terão superado o governo federal, como principais fontes de recursos para a saúde.

Para 2036, os técnicos da Confederação projetam investimentos em saúde pela União correspondentes a 9,2% da Receita Corrente Liquida (RCL). Os cálculos se baseiam em uma taxa de crescimento do Produto Interno Bruto de 2,5% ao ano a partir de 2018, sempre acima do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Como consequência da correção das despesas primárias da União pela inflação, a estimativa é de que as despesas da União com saúde encolham em quase um terço, em termos de participação percentual destes gastos na receita. Em 2016, o gasto federal com ações em saúde somou R$ 106 bilhões, o equivalente a 13,2% da RCL.

Já um levantamento do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems) indica que em 2016 as Prefeituras responderam por 31,4% das despesas públicas com saúde no Brasil, enquanto a União concentrou 43% dos gastos. A fatia dos Estados foi de 25,6%. O teto gastos criado a partir da emenda prevê que o limite para as despesas primárias, excluindo juros e outros encargos), da União tenha seu valor corrigido pela variação do IPCA.

Ziulkoski se diz favorável ao ajuste das contas do governo federal mas destaca que, num cenário de expansão econômica, os gastos da União serão limitados pela evolução do IPCA enquanto as despesas dos municípios com saúde tendem a crescer. Isso porque as Prefeituras são obrigadas por lei a gastar 15% da receita com ações e serviços públicos de saúde. Uma arrecadação tributária maior, resultante de um reaquecimento da economia, se traduziria em investimentos mais altos, para cumprir o piso legal.

Com informações do Valor Econômico


Fonte: Portal CNM - Confederação Nacional de Municípios

Notícias

Presidente confirma novo horário
Presidente confirma novo horário

O presidente do legislativo de Balneário Gaivota, José Enio da Silva (PP) reafirmou nesta segunda-feira (05) que a próxima sessão já será em um novo horário, a partir das 18h45.

A alteração do horário faz parte de sua visão na presidência em facilitar o acesso dos moradores na Câmara de Vereadores “muitas pessoas querem acompanhar as sessões, com o novo horário os moradores terão ainda mais facilidade para acompanhar” comenta o presidente.

Ao Zero Hora, Ziulkoski fala sobre a crise enfrentada pelos Municípios
Ao Zero Hora, Ziulkoski fala sobre a crise enfrentada pelos Municípios

“Não há dinheiro novo para nada nos próximos 20 anos”, A afirmação foi feita pelo presidente da Confederação Nacional de Municípios (CNM), Paulo Ziulkoski, em entrevista ao jornal Zero Hora. Ele alertou que a crise econômica enfrentada pelos Municípios deve se tornar ainda mais grave neste ano de 2018 e lamentou o não repasse do aporte financeiro previsto para entrar em dezembro de 2017 no valor de R$ 2 bilhões. A reportagem divulgou estudo da entidade que aponta: no Rio...

Ministro do Planejamento confirma envio de projeto que prevê liberação do AFM
Ministro do Planejamento confirma envio de projeto que prevê liberação do AFM

O orçamento de 2018 foi tema de uma conversa entre o ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, e o presidente da Confederação Nacional de Municípios (CNM), Paulo Ziulkoski, na última quinta-feira, 1º de fevereiro. Durante a conversa, o chefe da pasta sinalizou que vai enviar um projeto de lei ao Congresso Nacional, que estabelece o tão esperado Auxílio Financeiro aos Municípios (AFM). Segundo anúncio feito pelo ministro neste dia 2 de fevereiro, o governo fará um bloqueio de R$...

Uso de energia solar pode trazer benefícios para agricultura familiar
Uso de energia solar pode trazer benefícios para agricultura familiar

Assegurar o acesso confiável, sustentável, moderno e a preço acessível à energia para todos. Essa é a meta do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 7 (ODS 7). Os interessados no assunto vão desde as famílias que moram no campo, passando pelos Municípios urbanos, chegando a Estados nacionais. No âmbito municipal, provavelmente a maior atribuição do Município seja a de informar e conscientizar a população sobre a necessidade do uso racional do consumo da energia. Para isso,...

FPM: terceiro repasse de janeiro será liberado no dia 30
FPM: terceiro repasse de janeiro será liberado no dia 30

Na próxima terça-feira, 30 de janeiro, as prefeituras brasileiras receberão mais um repasse do Fundo de Participação dos Municípios (FPM). Relativo ao terceiro decêndio do mês, o montante totaliza R$ 2,657 bilhões, já descontada a retenção do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb). Em valores brutos, o repasse é de R$ 3,321 bilhões. A equipe de Estudos Técnicos da Confederação Nacional de Municípios (CNM) fez uma análise dos valores...

Brasil registra 130 casos de febre amarela até 23 de janeiro
Brasil registra 130 casos de febre amarela até 23 de janeiro

No período de 1º de julho de 2017 a 23 de janeiro deste ano, o Brasil registrou 130 casos de febre amarela no país, sendo que 53 vieram a óbito. No mesmo período do ano passado, foram confirmados 381 casos e 127 óbitos.  Os dados foram atualizados pelo Ministério da Saúde na última quarta-feira, 24 de janeiro. “Embora a área exposta este ano seja muito maior e abarque grandes cidades com maior concentração populacional do que no ano passado, esses números demonstram que a...

Publicada portaria que traz calendário para execução de emendas parlamentares 2018
Publicada portaria que traz calendário para execução de emendas parlamentares 2018

O Diário Oficial da União (DOU) do dia 23 de janeiro traz uma publicação importante para os gestores municipais brasileiros. A Portaria Interministerial 10/2018 detalha os prazos de apresentação, registro e operacionalização das emendas parlamentares individuais de execução obrigatória. Também orienta a respeito de possíveis impedimentos técnicos. Segundo o texto, no dia 19 de fevereiro será aberto o Módulo Orçamento Impositivo junto ao Sistema Integrado de Planejamento e...

“Prefeituras investem hoje 22,5% de sua arrecadação em saúde”, afirma Ziulkoski
“Prefeituras investem hoje 22,5% de sua arrecadação em saúde”, afirma Ziulkoski

“As Prefeituras investem hoje 22,5% de sua arrecadação em saúde, muito acima, portanto, da obrigação legal”. A afirmação é do presidente da Confederação Nacional de Munícipios (CNM), Paulo Ziulkoski, e foi divulgada pelo Valor Econômico nesta sexta-feira, 19 de dezembro. O jornal divulgou estudo da entidade sobre o impacto da Emenda Constitucional (EC) 95/2016 que institui um teto para os gastos públicos federais vinculado à inflação. Com o título Teto reduzirá...