100%

Em entrevista à Agência Brasil, Aroldi fala sobre o Índice de Desenvolvimento Municipal

O presidente da Confederação Nacional de Municípios (CNM), Glademir Aroldi, concedeu entrevista sobre o Índice de Desenvolvimento Municipal (IFDM), divulgado pela Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan) na quinta-feira, 28 de junho. O estudo com dados de 2016 sugere: a crise econômica, que atinge o Brasil, fez com que o desenvolvimento dos Municípios retrocedesse três anos, ficando abaixo do patamar de 2013.

De acordo com os números, apenas 431 Municípios do país têm elevado desenvolvimento em saúde, educação, emprego e renda. Além de contestar os dados, o presidente da CNM fala sobre a falta de recursos públicos para os Municípios atenderem à população e a transferência de responsabilidades aos Entes municipais, sem a devida contrapartida em termos financeiros, ocorrida nos últimos anos.

No caso da saúde, em 2016, dados da CNM mostram que os governos locais investiram 21,64% de suas receitas próprias no setor. \"A legislação prevê que 15% do orçamento dos Municípios deve ser aplicado em saúde. Na média, hoje em dia, os Municípios estão gastando 24% do seu orçamento de saúde\", exemplificou Aroldi ao conceder entrevista à Agência Brasil.

O presidente também menciona a elevação dos gastos causada pela defasagem no repasse de programas federais e as decisões judiciais que impõem obrigações de atendimento aos Municípios que, muitas vezes se refere a atendimentos de média e alta complexidade, uma atribuição dos governos estaduais e federal. \"Na verdade, a gente acaba fazendo atendimentos em áreas e ações que não são da nossa responsabilidade e prejudicando a atenção básica de saúde\", argumenta.

Aroldi citou o exemplo do Programa Saúde da Família, em que o governo federal transfere R$ 10 mil por equipe de saúde da família para Municípios até 30 mil habitantes e R$ 7 mil para as cidades com mais de 30 mil moradores. O recurso é para auxiliar na contratação de grupos de médico, enfermeiros e agentes de saúde. Mas, a média de custo de cada equipe dessa é de R$ 45 mil. \"É por isso que a gente está tirando do orçamento 24% e não 15% como determina a legislação. Os custos são atualizados anualmente, como salários, combustível, energia elétrica, medicamentos, equipamentos, mas os recursos do programa não são atualizados\", explicou o presidente da entidade. Ele disse ainda que a grave crise econômica dos Estados gera atraso no pagamento de programas de saúde nos Municípios.

Na área de educação, o problema seria o mesmo, aponta. A maior parte dos recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) sai do orçamento municipal e é destinado ao pagamento dos salários de professores. \"A lei diz que 60% do Fundeb é para pagamento dos salários e 40% para a manutenção e o desenvolvimento do ensino, mas a média dos Municípios hoje é usar 80% dos recursos para o pagamento dos docentes. Enquanto o piso dos professores cresceu 6,82% no ano passado, os recursos do Fundo crescem cerca de 3%. Vai chegar no final dessa gestão dos atuais prefeitos, se não houver modificação, com 100% dos recursos só para o pagamento de salário. Não tem como se desenvolver assim\", explicou o presidente da entidade.

Aroldi contou que uma das demandas da CNM no Congresso Nacional é a aprovação de um projeto de lei que determina o reajuste anual, com base na inflação, de programas como o de merenda, transporte escolar, compra de medicamentos e saúde da família, como forma compensar os efeitos da alta no custeio desses serviços que estariam prejudicando a realização do atendimento à população pelos Municípios.

Com informações ABr


Fonte: Portal CNM - Confederação Nacional de Municípios
Protocolos desta Publicação:Criado em: 29/06/2018 - 15:02:07 por: Gilherme - Alterado em: 29/06/2018 - 15:02:07 por: Gilherme

Notícias

Em entrevista à Agência Brasil, Aroldi fala sobre o Índice de Desenvolvimento Municipal
Em entrevista à Agência Brasil, Aroldi fala sobre o Índice de Desenvolvimento Municipal

O presidente da Confederação Nacional de Municípios (CNM), Glademir Aroldi, concedeu entrevista sobre o Índice de Desenvolvimento Municipal (IFDM), divulgado pela Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan) na quinta-feira, 28 de junho. O estudo com dados de 2016 sugere: a crise econômica, que atinge o Brasil, fez com que o desenvolvimento dos Municípios retrocedesse três anos, ficando abaixo do patamar de 2013. De acordo com os números, apenas 431 Municípios do país...

CONQUISTA: publicado o decreto que estende prazo para reclassificação dos RAPs
CONQUISTA: publicado o decreto que estende prazo para reclassificação dos RAPs

Assim como prometido, a presidência da República concedeu mais seis meses para os Municípios com Restos a Pagar (RAPs) classificados como não processados ou não liquidados, até 2016, resolverem as pendências. Na noite anterior, o subchefe de Assuntos Federativos da Secretaria de Governo da Presidência da República, Marcelo Barbieri, entrou em contato com o presidente da Confederação Nacional de Municípios (CNM), Glademir Aroldi, para informar a publicação do Decreto 9.428/2018....

Roda de conhecimento trata da matriz de saldos contábeis
Roda de conhecimento trata da matriz de saldos contábeis

Você sabe o que representa a matriz de saldos contábeis e os prazos para os Municípios? Este é um assunto novo na administração pública nacional. Pensando nisso, a Confederação Nacional de Municípios (CNM) trouxe o tema para a Roda de Conhecimento desta quinta-feira, 28 de junho. O técnico da área de contabilidade pública da CNM, Marcus Vinícius Cunha, explica que o tema é uma tendência de implantação e padronização entre todos os sistemas do país, adotando uma linguagem...

Coleta de Lixo Eletrônico no município
Coleta de Lixo Eletrônico no município

Nesta terça-feira (19) a ação chega novamente ao centro do Balneário Gaivota, na avenida Interpraias com a Rodovia José Tiscoski, ao lado do posto Ipiranga para que todos possam levar seus materiais de eletroeletrônico, vidros e óleo de cozinha.

CNM apresenta resultados em encerramento da campanha Lixo Zero: um desafio para todos
CNM apresenta resultados em encerramento da campanha Lixo Zero: um desafio para todos

Os desafios dos governos locais sobre a destinação adequada dos resíduos sólidos foram abordados pela Confederação Nacional de Municípios (CNM) ao longo das últimas duas semanas. A entidade encerra nesta sexta-feira, 15 de junho, a campanha Municípios Lixo Zero: um desafio para todos e destaca iniciativas que foram promovidas como forma de conscientizar a redução da produção e o consumo de produtos descartáveis. A campanha foi lançada no dia 5 de junho em comemoração ao Dia...

Saneamento: Municípios tem até dia 18 para fazer cadastramento no Avançar Cidades
Saneamento: Municípios tem até dia 18 para fazer cadastramento no Avançar Cidades

Termina na próxima segunda-feira, 18 de junho, o prazo para que Municípios com capacidade de solicitar empréstimo possam fazer o cadastramento da carta-consulta no sistema da Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental do Ministério das Cidades (SNSA/MCidades). Os interessados devem, ainda, anexar a documentação para pré-qualificação institucional e técnica para participar do processo seletivo simplificado para contratação de operações de crédito para execução de ações de...

FPM bloqueado: CNM orienta Municípios sobre providências para regularização
FPM bloqueado: CNM orienta Municípios sobre providências para regularização

Todos os meses, a Secretaria do Tesouro Nacional (STN) disponibiliza uma relação de Municípios que podem ter bloqueios no Fundo de Participação dos Municípios (FPM) por conta de irregularidades. Para evitar o não repasse da verba às prefeituras a partir do segundo decêndio, a Confederação Nacional de Municípios (CNM) orienta os gestores locais sobre as providências a serem tomadas para regularizar a situação e garantir a totalidade do repasse. A CNM lembra que a relação de...

Ministério da Saúde faz apelo para tentar alcançar meta de vacinação
Ministério da Saúde faz apelo para tentar alcançar meta de vacinação

O inverno está chegando e, com ele, aumenta a circulação do vírus da gripe, que pode levar à morte. Preocupado com as baixas coberturas vacinais registradas na Campanha Nacional de Vacinação contra a doença, o Ministério da Saúde prorrogou a vacinação até o dia 22 de junho. Também é preocupante o número de casos e mortes registrados no Brasil em decorrência da gripe. O número de ocorrências já dobrou em comparação com o mesmo período do ano passado. O secretário de...