100%

Saneamento: Municípios tem até dia 18 para fazer cadastramento no Avançar Cidades

Termina na próxima segunda-feira, 18 de junho, o prazo para que Municípios com capacidade de solicitar empréstimo possam fazer o cadastramento da carta-consulta no sistema da Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental do Ministério das Cidades (SNSA/MCidades). Os interessados devem, ainda, anexar a documentação para pré-qualificação institucional e técnica para participar do processo seletivo simplificado para contratação de operações de crédito para execução de ações de saneamento básico. 

O prazo consta na Instrução Normativa 11/2018, que cita ainda que serão selecionadas propostas de operações de crédito observando o montante de recursos disponíveis para contratação dentro do limite autorizado pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) e considerando o orçamento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) disponibilizado. 

A quantidade máxima de propostas a ser cadastrada por proponente, em cada modalidade, será calculada de acordo com a função do porte populacional do município a ser beneficiado, observados os limites estabelecidos no Anexo III do Edital, constante na Instrução Normativa 7/2018 publicada no Diário Oficial da União. 

Na elaboração das propostas, os proponentes deverão levar em consideração os regramentos que disciplinam a fonte de recursos onerosos do FGTS, além das diretrizes da Política Federal de Saneamento Básico. As propostas devem se enquadrar em uma das seguintes modalidades:

a) Abastecimento de Água;

b) Esgotamento Sanitário;

c) Manejo de Resíduos Sólidos;

d) Manejo de Águas Pluviais;

e) Redução e Controle de Perdas;

f) Estudos e Projetos (para as ações elencadas nas alíneas \"a\" até \"e\" do item 3 do anexo);

g) Plano de Saneamento Básico.

No caso de utilização de outras fontes onerosas distintas do FGTS, serão aplicadas, nos contratos de financiamento, as regras específicas relativas à fonte utilizada, no que se refere à contrapartida, taxas de juros, prazos de carência e de amortização, outros encargos financeiros, dentre outras restrições específicas. 

Histórico

Em 2013 foi aprovado o Plano Nacional de Saneamento Básico (Plansab), o qual previa que até 2033 o Brasil deveria universalizar os serviços de saneamento básico, que englobam o abastecimento de água potável, o esgotamento sanitário, o manejo de resíduos sólidos e a drenagem de águas pluviais ao custo de R$ 508 bilhões, sendo cerca de R$ 300 bilhões de responsabilidade da União (59%).

Passados cinco anos, não há mais previsão de quando as metas poderão ser cumpridas. Isso, pois os sucessivos cortes no orçamento da União para saneamento são alarmantes. De acordo com informações do Ministério do Planejamento , o Projeto de Lei Orçamentária (PLOA) previa para 2018 o montante de apenas R$ 941,6 milhões para apoiar Estados e Municípios em saneamento, valor irrisório diante dos desafios do setor.

De acordo com o relatório de avaliação do Plansab, divulgado em março de 2018 pelo Ministério das Cidades referente ao ano de 2016, na avaliação dos programas de saneamento, o total desembolsado entre 2011 e 2016 é de R$ 56,4 bilhões, considerando tanto os repasses de recursos do Orçamento Geral da União como dos fundos administrados pelo governo federal a título de empréstimo.

Portanto, a situação que os Municípios enfrentam é de absoluta incerteza com relação à melhoria do saneamento, pois as despesas crescem e o orçamento reduz. A conta não fecha e os gestores terão cada vez mais dificuldades em prestar os serviços de saneamento e o que se tem disponível hoje é somente a base de empréstimos. 

Leia mais

Universalização do saneamento levará mais de cem anos para acontecer

 

Saneamento: Municípios tem até dia 18 para fazer cadastramento no Avançar Cidades

 

Termina na próxima segunda-feira, 18 de junho, o prazo para que Municípios com capacidade de solicitar empréstimo possam fazer o cadastramento da carta-consulta no sistema da Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental do Ministério das Cidades (SNSA/MCIDADES). Os interessados devem, ainda, anexar a documentação para pré-qualificação institucional e técnica para participar do processo seletivo simplificado para contratação de operações de crédito para execução de ações de saneamento básico.

 

O prazo consta na Instrução Normativa 11/2018, que cita ainda que serão selecionadas propostas de operações de crédito observando o montante de recursos disponíveis para contratação dentro do limite autorizado pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) e considerando o orçamento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) disponibilizado.

http://pesquisa.in.gov.br/imprensa/jsp/visualiza/index.jsp?data=01/06/2018&jornal=515&pagina=94&totalArquivos=158

 

A quantidade máxima de propostas a ser cadastrada por proponente, em cada modalidade, será calculada de acordo com a função do porte populacional do município a ser beneficiado, observados os limites estabelecidos no Anexo III do Edital, constante na Instrução Normativa 7/2018 publicada no Diário Oficial da União.

http://pesquisa.in.gov.br/imprensa/jsp/visualiza/index.jsp?data=02/04/2018&jornal=515&pagina=109&totalArquivos=154

 

Na elaboração das propostas, os proponentes deverão levar em consideração os regramentos que disciplinam a fonte de recursos onerosos do FGTS, além das diretrizes da Política Federal de Saneamento Básico. As propostas devem se enquadrar em uma das seguintes modalidades:

a) Abastecimento de Água;

b) Esgotamento Sanitário;

c) Manejo de Resíduos Sólidos;

d) Manejo de Águas Pluviais;

e) Redução e Controle de Perdas;

f) Estudos e Projetos (para as ações elencadas nas alíneas \"a\" até \"e\" do item 3 do anexo);

g) Plano de Saneamento Básico.

No caso de utilização de outras fontes onerosas distintas do FGTS, serão aplicadas, nos contratos de financiamento, as regras específicas relativas à fonte utilizada, no que se refere à contrapartida, taxas de juros, prazos de carência e de amortização, outros encargos financeiros, dentre outras restrições específicas.

 

Histórico

Em 2013 foi aprovado o Plano Nacional de Saneamento Básico (Plansab), o qual previa que até 2033 o Brasil deveria universalizar os serviços de saneamento básico, que englobam o abastecimento de água potável, o esgotamento sanitário, o manejo de resíduos sólidos e a drenagem de águas pluviais ao custo de R$ 508 bilhões, sendo cerca de R$ 300 bilhões de responsabilidade da União (59%).

 

Passados cinco anos, não há mais previsão de quando as metas poderão ser cumpridas. Isso, pois os sucessivos cortes no orçamento da União para saneamento são alarmantes. De acordo com informações do Ministério do Planejamento , o Projeto de Lei Orçamentária (PLOA) previa para 2018 o montante de apenas R$ 941,6 milhões para apoiar Estados e Municípios em saneamento, valor irrisório diante dos desafios do setor.

 

De acordo com o relatório de avaliação do Plansab, divulgado em março de 2018 pelo Ministério das Cidades referente ao ano de 2016, na avaliação dos programas de saneamento, o total desembolsado entre 2011 e 2016 é de R$ 56,4 bilhões, considerando tanto os repasses de recursos do Orçamento Geral da União como dos fundos administrados pelo governo federal a título de empréstimo.

 

Portanto, a situação que os Municípios enfrentam é de absoluta incerteza com relação à melhoria do saneamento, pois as despesas crescem e o orçamento reduz. A conta não fecha e os gestores terão cada vez mais dificuldades em prestar os serviços de saneamento e o que se tem disponível hoje é somente a base de empréstimos.

 

Leia mais:

Universalização do saneamento levará mais de cem anos para acontecer: http://www.li.cnm.org.br/r/Z5dIyz

 


Fonte: Portal CNM - Confederação Nacional de Municípios
Protocolos desta Publicação:Criado em: 18/06/2018 - 08:29:48 por: Gilherme - Alterado em: 18/06/2018 - 08:29:48 por: Gilherme

Notícias

08/11/2018 
STN divulga vídeos para orientar Municípios sobre implantação da matriz de saldos contábeis
STN divulga vídeos para orientar Municípios sobre implantação da matriz de saldos contábeis

Para auxiliar os gestores municipais, a Secretaria do Tesouro Nacional (STN) disponibiliza uma série de vídeos com explicações sobre os caminhos para implantação da Matriz de Saldos Contábeis (MSC). A ferramenta foi criada com o objetivo de gerar, automaticamente, a partir das informações extraídas da contabilidade municipal, relatórios contábeis e demonstrativos fiscais exigidos pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). Os desafios de implementação são muitos e as...

08/11/2018 
Mobilização: CNM e Planalto se reúnem para acertar detalhes de Encontro dos Municípios com Temer
Mobilização: CNM e Planalto se reúnem para acertar detalhes de Encontro dos Municípios com Temer

A dez dias da Mobilização Municipalista que tratará dos avanços das pautas no governo de Michel Temer, a equipe da Confederação Nacional de Municípios (CNM) e do Palácio do Planalto se reuniram nesta quinta-feira, 8 de novembro, para acertar os detalhes do Encontro dos Municípios com Temer. A presença do presidente está confirmada para o dia 19 de novembro, a partir das 13h30, na sede da CNM. O evento será transmitido ao vivo nas redes sociais. Já no dia 20, a agenda será no...

08/11/2018 
MP que assegura recursos para Fundo Nacional de Cultura é aprovada na Comissão
MP que assegura recursos para Fundo Nacional de Cultura é aprovada na Comissão

Proposta com impactos nas áreas de cultura, esporte e segurança pública, a Medida Provisória (MP) 846/2018 acaba de ser aprovada na Comissão Mista. Na quarta-feira, 31 de outubro, o relator, senador Flexa Ribeiro (PSDB-PA), apresentou seu parecer, no qual não foi acatada a emenda nº 9, redigida pela Área Técnica de Cultura da Confederação Nacional de Municípios (CNM). A entidade vem acompanhando a tramitação na tentativa de contribuir com a redação final e garantir a...

08/11/2018 
Estrutura da CNM impressiona gestor municipal
Estrutura da CNM impressiona gestor municipal

O prefeito de Triunfo (PB), José Mangueira Torres, veio a capital federal para dialogar com congressistas. O objetivo era encontrar soluções que levem melhorias ao pequeno Município de menos de 10 mil habitantes. Acompanhado do assessor jurídico municipal Damisio Silva e do assessor parlamentar (do deputado Wilson Filho – PTB-PB) Zoir Júnior, o gestor municipalista esteve pela primeira vez na sede da Confederação Nacional de Municípios (CNM). Em seu primeiro mandato como prefeito,...

08/11/2018 
Equipe da CNM vai a Abaetetuba (PA) conhecer iniciativa vencedora do MuniCiência
Equipe da CNM vai a Abaetetuba (PA) conhecer iniciativa vencedora do MuniCiência

Uma equipe de técnicos e consultores da Confederação Nacional de Municípios (CNM) registrou, nesta semana, detalhes de uma iniciativa da Prefeitura Municipal de Abaetetuba (PA) que está levando água potável para comunidades ribeirinhas. Desde setembro de 2017, a gestão municipal vem instalando, nas ilhas da região, unidades do sistema SALTA-z, desenvolvido pela Fundação Nacional de Saúde (Funasa), que faz a coleta e purificação da água dos rios para consumo humano. A...

29/06/2018 
Em entrevista à Agência Brasil, Aroldi fala sobre o Índice de Desenvolvimento Municipal
Em entrevista à Agência Brasil, Aroldi fala sobre o Índice de Desenvolvimento Municipal

O presidente da Confederação Nacional de Municípios (CNM), Glademir Aroldi, concedeu entrevista sobre o Índice de Desenvolvimento Municipal (IFDM), divulgado pela Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan) na quinta-feira, 28 de junho. O estudo com dados de 2016 sugere: a crise econômica, que atinge o Brasil, fez com que o desenvolvimento dos Municípios retrocedesse três anos, ficando abaixo do patamar de 2013. De acordo com os números, apenas 431 Municípios do país...

29/06/2018 
CONQUISTA: publicado o decreto que estende prazo para reclassificação dos RAPs
CONQUISTA: publicado o decreto que estende prazo para reclassificação dos RAPs

Assim como prometido, a presidência da República concedeu mais seis meses para os Municípios com Restos a Pagar (RAPs) classificados como não processados ou não liquidados, até 2016, resolverem as pendências. Na noite anterior, o subchefe de Assuntos Federativos da Secretaria de Governo da Presidência da República, Marcelo Barbieri, entrou em contato com o presidente da Confederação Nacional de Municípios (CNM), Glademir Aroldi, para informar a publicação do Decreto 9.428/2018....

28/06/2018 
Roda de conhecimento trata da matriz de saldos contábeis
Roda de conhecimento trata da matriz de saldos contábeis

Você sabe o que representa a matriz de saldos contábeis e os prazos para os Municípios? Este é um assunto novo na administração pública nacional. Pensando nisso, a Confederação Nacional de Municípios (CNM) trouxe o tema para a Roda de Conhecimento desta quinta-feira, 28 de junho. O técnico da área de contabilidade pública da CNM, Marcus Vinícius Cunha, explica que o tema é uma tendência de implantação e padronização entre todos os sistemas do país, adotando uma linguagem...

«
1
2 3 4 5 6 7 8 9 »